Art as knowledge

In this short essay I will try to defend why I think art is a form of knowledge and why it is so important to support art and artists, specially, experimental art, that due to its condition is usually unable to generate revenue to support itself. Our language is our world, however, language is limited. … Continue reading Art as knowledge

Finding one’s voice: assembling and mixing the little bits that ring inside yourself.

There's the famous theory that everything is a remix, that we are entangled in «webs of significance». Culture, according to the notable anthropologist Clifford Geertz, is «a system of inherited conceptions expressed in symbolic forms by means of which men communicate, perpetuate, and develop their knowledge about and attitudes toward life». Everything that surrounds me … Continue reading Finding one’s voice: assembling and mixing the little bits that ring inside yourself.

What is great music and why isn’t Beethoven that great after all

In the era of digital age and technology, computers and digital media changed our perception and values regarding making and consuming music. However, it seems to me that history (and specially western academia) haven't reflected that change and still regard on values connected with symbolic musical notation to write their values – what was adequate … Continue reading What is great music and why isn’t Beethoven that great after all

My Music is very good: You were just expecting something else.

Illustration by ©RGBstock.com/Robert Proksa I will tell you some personal stories today. One of the things I most love to do is to create. I create stuff. Often. It is a process that I can't really explain, I'm just lying around and then, out of the blue, I make some nifty associations and I come … Continue reading My Music is very good: You were just expecting something else.

Six puppets

Some food for thought, just facts, not judgments. A typical European Family: Joe and Anne, two post-teens. Joe is graduating, never worked. Lives with his parents, depends on them for everything. Has some friends and a boring life, home, college, bars. Anne got pregnant in high-school and dropped off. Lives with his parents and also … Continue reading Six puppets

Politics and Music – a symbolic analogy or How and Why Schoenberg invented Musical Communism

Formal systems and abstractions are everywhere in our world and dominate the thinking and the reasoning on how we organize ourselves and theorize and speculate about it. Therefore I am proposing yet an amusing and interesting mental experience – the analogy and the mirroring of political systems/ways we have used to organize our societies and … Continue reading Politics and Music – a symbolic analogy or How and Why Schoenberg invented Musical Communism

Uma revelação surpreendente entre música e linguagem

Ando a ler "Music, Language and the Brain" de Anniruddh Patel, um livro maravilhoso que tenta cruzar o lado científico e neurológico do Homem com questões musicais. Nele é relatado como Foris, nos descreve um episódio surpreendente acerca da língua Chinantec, falada em certas regiões do México. É uma linguagem tonal, com 5 tons diferentes. … Continue reading Uma revelação surpreendente entre música e linguagem

Do Ensino da música e da falta de cultura musical (in Portuguese)

Pensemos um mundo onde os jovens saem da escola a mal saber ler e escrever, sem capacidade para analisar um texto, sem saberem fazer contas e com noções tremendamente deficientes ou inexistentes de química e física. Ficaríamos alarmados. Teríamos a noção que estes jovens continuariam a ser capazes de se integrar (melhor ou pior) na … Continue reading Do Ensino da música e da falta de cultura musical (in Portuguese)

Personagens e Ficção (in Portuguese)

Quando observo actualmente algumas telenovelas portuguesas apercebo-me que, embora os motivos devam ser as audiências e as expectativas de um painel de teste e as preferências dos espectadores, que vão influenciando a escrita da narrativa à medida que vai sendo filmada, boas ideias se vão perdendo. E a ficção fica, inadvertidamente, mais coxa mas mais … Continue reading Personagens e Ficção (in Portuguese)

Porque falham as discussões? (in Portuguese)

É muito comum vermos debates eternizarem-se e discussões arrastarem-se e falharem. Habermas preconizava que a comunicação alcançava-se com o entendimento e o consenso era o seu grande objectivo. Quando duas pessoas ou facções debatem o seu objectivo, à partida, deveria ser esse mesmo: o mútuo consenso após avaliação dos argumentos dos dois lados. O problema … Continue reading Porque falham as discussões? (in Portuguese)

Do trítono e das sensíveis nas relações de cadência (in Portuguese)

Numa relação cadencial o trítono é importante porque define as sensíveis, as relações mais fortes que vão dar a sensação de cadência perfeita. Assim, falando em Dó Maior, por exemplo, o trítono mais importante nesta escala é aquele se concretiza entre si e fá. Estas notas aparecem naturalmente no acorde do quinto grau, o sol … Continue reading Do trítono e das sensíveis nas relações de cadência (in Portuguese)

A música como linguagem (in Portuguese)

Comprovo com experiências empíricas ocasionais com os meus amigos e conhecidos que o mundo da referencialidade musical é volátil e amplamente subjectivo. Um processo cultural e social em curso permanente. Componho música com ambientes, sonoridades, muitas delas clichés, para tentar evocar certas imagens ou sensações e depois espanto-me com as reações completamente díspares que acontecem. … Continue reading A música como linguagem (in Portuguese)

Língua e Pensamento (in Portuguese)

De que forma a aprendizagem de uma língua condiciona a nossa visão do mundo? Quando aprendemos desde crianças uma certa moldura mental de símbolos para nos expressarmos e inteligirmos o real como isso nos afecta e às nossas expressões, criatividades e sensibilidades? Aparentemente era um assunto sobre o qual já Wittgenstein dissertava e que nos … Continue reading Língua e Pensamento (in Portuguese)

Porque gostamos das músicas que gostamos? (in Portuguese)

Haverá com certeza milhões de razões diversas para responder a esta questão, no entanto eu gostaria de chamar a atenção sobretudo para os factores extra-sonoros. Na concepção moderna de música, e essencialmente comercial, a chamada «Música absoluta», quase não existe. Entender-se-ia por música absoluta a que é totalmente instrumental, sem designação ou programa. Uma música … Continue reading Porque gostamos das músicas que gostamos? (in Portuguese)

Dos fones na acusmática (in Portuguese)

Recentemente enviei um instrumental a uma amiga com instruções específicas para ser ouvido de olhos fechados e com fones. Ela não percebeu bem o alcance deste pedido. Chamou-lhes «Dispositivos autistas que artificialmente nos isolavam do mundo». E eu percebo que muita gente pense assim, quão melhor é ter os sentido alerta e absorver os sons … Continue reading Dos fones na acusmática (in Portuguese)